Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

elixirdebaco

5 grandes amigos, que gostam de provar, mas sobretudo de beber vinho todos juntos. Como a vida os afastou (geograficamente), o vinho acabou por os juntar. E o vinho, torna-se sempre melhor quando é partilhado!

Douros com boa RQP

08.06.07 | Rui Sousa
Mais uma prova de vinhos, associada a uma boa jantarada com os amigos. Desta vez a escolha foi dois Douros . Tentamos procurar dois vinhos com um objectivo principal - uma boa qualidade preço. Assim os vinhos provados tiveram um preço de custo inferior a 10€.
Os dois tintos escolhidos foram o Cistus Reserva 2001, um desconhecido por nós, mas veio a confirmar a boa região onde é produzido. A outra botelha foi o Passadouro 2004, depois de já termos provado a colheita de 2003 quisemos ver as diferenças deste conhecido vinho.

CISTUS RESERVA 2001
Boa surpresa! Este tinto é sobretudo uma óptima opção para quem quer provar um bom duriense a bom preço. Digo isto porque representa bem todas as características da região, fresco, balsâmico , com fruta, e bom corpo. Este tinto mostra-se com uma cor escura a fugir para o granada, depois no nariz começa a viagem pelo Douro, a frescura do balsâmico com notas vivas de fruta, cereja e ginja a se notarem muito bem. Algumas notas licorosas e de menta também surgiram durante a prova. Na boca a frescura continua bem associada à fruta e os taninos envolventes, em bom plano. É um tinto muito agradável de se beber, devido a sua frescura e bom corpo torna-se numa companhia ideal para estar a conversar com os amigos. O final é bem agradável e tem uma boa persistência. 16,5 Val


PASSADOURO 2004
Não posso dizer que foi uma surpresa, mas sim uma confirmação de um vinho muito bem feito. Chega-nos também com uma cor bem escura com um anel violeta bem vincado. Nariz cheio de fruta silvestre e negra com bons toques de notas frescas, junto com toques de cacau e chocolate. Este é um vinho diferente do primeiro porque é mais "corpulento", tem um corpo que nos envolve muito mais, cativante, prende-nos mais ao copo. Na boca os taninos são envolventes, volumosos, "carnudos"  e com a fruta  associada a notas de madeira. O final é bom e bem persistente.  Este é um vinho que  consegue prender a nossa atenção desde o inicio, é mais uma excelente RQP e que sem dúvida que  irá conquistar adeptos por esse mundo fora.  17 Val

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.