Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

elixirdebaco

5 grandes amigos, que gostam de provar, mas sobretudo de beber vinho todos juntos. Como a vida os afastou (geograficamente), o vinho acabou por os juntar. E o vinho, torna-se sempre melhor quando é partilhado!

Adega de Penalva Reserva Tinto 2015

por Rui Sousa, em 02.06.20

penalva.jpg

Características do Vinho:

Tipo: Tinto
Castas:  Jaen, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro

Ano: 2015
Região: Dão
Data da Prova: 20 de Maio de 2020
Teor Alcoolico: 13,5%

Produtor: Adega de Penalva

 

Sobre o Vinho...

A Adega Cooperativa de Penalva do Castelo tem hoje cerca de 1000 associados, recebe anualmente as uvas de mais de 1200 ha de vinha, produz em média dez milhões de litros de vinho, dispõem da mais moderna tecnologia de vinificação, estágio e engarrafamento de vinhos.  O nosso clima é frio e chuvoso no inverno, quente e seco no verão. O nosso solo é granítico e acidentado, rodeado por grandes serras e rios. Os tintos são de cor rubi, corpo elegante, aroma e sabores delicados. (https://www.adegapenalva.com/vinhos/)

 

Prova:

Belo tinto, simples e simpático, tal e qual o lema da Adega. Apresenta os aromas caracteristicas das castas, fruta vermelha mais a elegância floral. Taninos a marcar posição logo de inicio, envolventes e persistentes. Notas ligeiras de madeira acompanham a prova. O final não é muito persistente e nota-se uma ligeira falta de harmonia entre acidez e corpo, mas estamos perante um humilde, prático e sobretudo gastronómico bom tinto do Dão.

 

Classificação: 15,5/20 

Preço: 3€ (preço médio)

Observações:  Vivino: 3.6/5Wine Enthusiast: n/d;  Revista de Vinhos: n/d; Grandes Escolhas: n/d;

Portugal nos Top's

por Rui Sousa, em 01.06.20

lista.jpg

A conceituada revista Wine Enthusiast, lançou no final de 2019 as suas listas, The Enthusiast Top 100, Top 100 Cellar Selections, e o Best Buys 2019 e agradávelmente encontramos vários vinhos nas três listas, mas com especial enfoque no 1º Lugar do Sandeman 2017 Quinta do Seixo com 100 pontos, no Top 100 Cellar Selections!!!

Mais interessante foi encontrar neste lista, mais 6 vinhos portugueses:

64º Quinta de La Rosa Reserva 2016 Douro, 94 pontos

43º Cockburn's 2017 Porto, 96 pontos

40º Monte da Ravasqueira 2015 Vinha das Romãs, Alentejo, 94 pontos

38º Quinta da Romaneira Reserva 2016, Douro, 95 pontos

36º Quinta do Vale Meão 2017, Porto, 96 pontos

13º Taylor Fladgate Vargellas 2017, Porto, 100 pontos

No The Enthusiast Top 100, encontramos 4 vinhos portugueses:

8º Quinta do Vale Meão 2016, Douro, 98 pontos

56º José Maria da Fonseca 2017, Alentejo, 92 pontos

58º Anselmo Mendes, Muros Antigos, Alvarinho 2018, Vinho Verde, 92 pontos

59º Herdade do Rocim, Alicante Bouschet, Alentejo, 92 pontos 

Na lista Best Buy podemos ver os melhores vinhos por menos de 15$ e também é possível encontrar 7 néctares portugueses:

4º Aveleda, Alvarinho 2018, Vinho Verde, 90 pontos

16º Parras Vinhos Castelo do Sulco Selecção Enólogos Reserva 2016, Lisboa, 90 pontos

22º DFJ Vinhos, Patamar Reserva Tinto, 2015, Lisboa, 90 pontos

28º Herdade de São Miguel Colheita Seleccionada Tinto 2017, Alentejo, 91 pontos

47º Casa Agrícola Santos Jorge Toutalga Tinto 2018, Alentejo, 87 pontos

63º Quinta dos Curvos Alvarinho, 2018, Vinho Verde, 90 pontos

91º Casa Santos Lima Lab Branco 2018, Tejo, 87 pontos

 

É muito interessante ver a presença de várias regiões nestas classificações, apesar não existir nenhum Madeira, Dão, Bairrada, Beira Interior. Tenho a certeza que há dezenas de vinhos dessas regiões que podiam estar nestes Top's.

Mas somos um pequeno, grande país!!

Altano Naturalmente Branco 2018

por Rui Sousa, em 31.05.20

altanobranco.jpg

Características do Vinho:

Tipo: Branco
Castas:  Malvasia Fina, Rabigato, Viosinho, Códega de Larinho e Moscatel Galego

Ano: 2018
Região: Douro
Data da Prova: 20 de Maio de 2020
Teor Alcoolico: 12,5%

Produtor: Symington Family Estates

 

Sobre o Vinho...

Os Altano brancos são feitos com algumas uvas de agricultores selecionados com vinhas em áreas de maior altitude, muitos dos quais nos forneceram por décadas. Após desengace e esmagamento suave das uvas, uma breve maceração pelicular permite otimizar a extração de compostos e precursores aromáticos desejáveis. A seguir à clarificação, o mosto é fermentado em cubas de inox, com temperatura controlada entre 14 e 16°C. Durante o período de envelhecimento que se segue evita-se o contato do vinho com oxigénio até ao engarrafamento, de modo a preservar os aromas primários. (https://pt.symington.com/brand/altano)

 

Prova:

Frescura e tropicalidade, com estas palavras posso definir este vinho branco. Este Douro branco surpreendeu pela vitalidade, frescura e sobretudo pelo boquet tropical que apresenta, com maracuja e citrinos a dominar e alguns toques de ananás. Bastante harmonioso na boca e com um final muito agradável e mediamente persistente. É realmente um bom vinho a um excelente preço, perfeito para um final de tarde num dia quente de verão. 

 

Classificação: 17/20 

Preço: 4,5€ (preço médio)

Observações:  Wine Enthusiast: 88/100;  Revista de Vinhos: n/d; Grandes Escolhas: n/d; Vivino: 3.8/5

Quinta do Cardo Tinto 2016

por Rui Sousa, em 29.05.20

QuintaCardo_Tinto.jpg

 

Características do Vinho:

Tipo: Tinto
Castas:  Touriga Nacional (40%), Touriga Franca (20%) e Tinta Roriz (40%)

Ano: 2016
Região: Beira Interior
Data da Prova: 24 de Maio de 2020
Teor Alcoolico: 13,5%

Produtor: Quinta do Cardo

 

Sobre o Vinho...

As uvas foram vindimadas à mão para caixas de 12 kg e submetidas a uma rigorosa selecção. Após o desengace total, procedeu-se à maceração pré-fermentativa dos bagos inteiros durante 4 dias. A fermentação alcoólica deu-se em cubas de inox à temperatura controlada de 24-26°C. A fermentação malolática ocorreu em cubas de inox e antes da primavera os vinhos foram transferidos para barricas de carvalho francês (2º e 3º ano) onde estagiaram durante 9 meses. (https://www.quintadocardo.com/pdf/Quinta_Cardo_Tinto_2017.pdf)

 

Prova:

Mais um vinho biologico provado e continuo no bom caminho... Originário de uma região que conheço muito pouco, este tinto surpreendeu pela sua complexidade. Aromas marcantes a fruta vermelha e do bosque, cereja, ginja e amora bem madura, com frescura qb e notas florais a compor o "ramalhete". Na boca o vinho continuou a conquistar com a frescura a marcar pontos e com o passar do tempo, o vinho começou a mostrar notas de especiarias e chocolate preto, a elevar a prova e a tornar o final ainda mais interessante, mas merecia um bocadinho mais de persistencia. Sem dúvida que é um vinho que deve ser degustado numa boa conversa... sem pressas...

 

Classificação: 16,5/20 

Preço: 6€ (preço médio)

Observações:  Wine Enthusiast: n/d;  Revista de Vinhos: n/d; Grandes Escolhas: n/d; Vivino: 3.6/5

Altano Biológico Tinto 2016

por Rui Sousa, em 29.05.20

altano-biologico-tinto-2016-ni.jpg

Características do Vinho:

Tipo: Tinto Biológico
Castas:  Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinto Cão e Tinta Barroca

Ano: 2016
Região: Douro
Data da Prova: 16 de Maio de 2020
Teor Alcoolico: 14%

Produtor: Symington Family Estates

 

Sobre o Vinho...

A Symington esteve entre os pioneiros dos vinhos modernos do Douro. Nos anos 90 começámos a produzir vinhos Douro DOC a partir das mesmas vinhas e castas autóctones que sempre produziram excelente vinho do Porto. Lançámos o primeiro Altano tinto em 1999 e não olhamos para trás. Os Altano tintos são produzidos exclusivamente com uvas das nossas vinhas. (https://pt.symington.com/brand/altano)

 

Prova:

Primeiro vinho biológico em prova e a escolha não podia ter sido melhor. Um verdadeiro Douro com aromas e sabores bem carateristicos desta região. Bouquet com imensa fruta vermelha, do bosque com destaque para as amoras, cerejas, mirtilos e com toques florais. Na boca os taninos estão bem marcantes, mas com a evolução muito agradável porque o vinho apresenta uma frescura a acompanhar, bem como um corpo muito envolvente que nos leva para um final persistente.

 

Classificação: 16,5/20 

Preço: 7€ (preço médio)

Observações:  Wine Enthusiast: n/d;  Revista de Vinhos: n/d; Grandes Escolhas: n/d; Vivino: 3.7/5

Herdade do Esporão Espumante 2015

por Rui Sousa, em 25.05.20

bottle.jpg foto: Herdade do Esporão

Características do Vinho:

Tipo: Espumante Branco
Castas:  Arinto e Encruzado

Ano: 2015
Região: Alentejo
Data da Prova: 14 de Maio de 2020
Teor Alcoolico: 12,5%

Produtor: Esporão

 

Sobre o Vinho...

Vinho experimental resultante da inquietude dos enólogos, o Espumante da Herdade do Esporão desafia as leis estabelecidas para a quente e soalheira região do Alentejo. Fermentação com temperaturas controladas em cubas de inox (13ºC a 15ºC), fermentação em garrafa, seguida de envelhecimento sobre as borras durante 9 meses até o degórgement. Método Clássico. 18 meses em garrafa (https://www.esporao.com/pt-pt/vinhos/espumante-2015/)

 

Prova:

2º vinho a ser provado nesta segunda vida, e a escolha não podia ser mais desafiante. Primeiro porque os espumantes não são de todo um tipo de vinho que me entusiasme. E segundo é sempre um vinho de ocasião festiva e pouco mais. Mas não deixa e ser um vinho e como tal merece sempre uma atenção mais cuidada. De cor palha e bolha ligeiramente persistente, não deixou de surpreender pela apresentação, a denotar que trazia um corpo também ele interessante. Os aromas citricos e pessêgo associados a toques de biscoitos de manteiga e na boca a confirmar as suspeitas, com uma untuosidade qb a dar forma ao corpo do vinho. O final pouco persistente e acidez pouco marcante, o que levou a que o vinho ficasse demasiado igual e pouco convidativo sobretudo com o aumento da temperatura. 

 

Classificação: 15/20 

Preço: 12€ (preço médio)

Observações:  Wine Enthusiast: n/d;  Revista de Vinhos: n/d; Grandes Escolhas: n/d; Vivino: 3.6/5

Cabriz Touriga Nacional 2016

por Rui Sousa, em 19.05.20

cabriz.jpg

Características do Vinho:

Tipo:Tinto
Castas:  Touriga Nacional

Ano: 2016
Região: Dão (DOC)
Data da Prova: 13 de Maio de 2020
Teor Alcoolico: 13,5%

Produtor: Dão Sul - Sociedade Vitivinícola

 

Sobre o Vinho...

Cabriz, marca líder do grupo, assenta na qualidade da região do Dão. Os seus vinhos são produzidos no centro de vinificação de Carregal do Sal, a sede do grupo Globalwines. É a marca mais vendida do Dão, com produtos bem conhecidos do público em geral. Mais recentemente lançou também a sua gama de vinhos biológicos. 

 

Prova:

De volta à provas... e que recomeço, monovarietal de Touriga Nacional, e com a casta a jogar em casa, não tinha dúvidas que ia ser goleada!!! Fiquei fascinado, como habitualmente, com os aromas marcantes a frutas do bosque/silvestres e com aquela frescura floral que o Dão consegue dar. Corpo muito bem estruturado, com os taninos envolventes no ponto. Final não é muito persistente, mas é um excelente exemplar Cabriz e Touriga Nacional do Dão. Tanto permite ser um vinho gastronomico, como um vinho para nos acompanhar numa boa conversa ao longo da noite.

 

Classificação: 16,5/20 

Preço: 8€ (preço médio)

Observações:  Wine Enthusiast: 90/100;  Revista de Vinhos: n/disponivel; Grandes Escolhas: n/disponivel; Vivino: 4.0/5

3230

por Rui Sousa, em 18.05.20

3230 dias sem escrever sobre vinhos, 3230 dias sem qualquer preocupação em apontar, tirar notas sobre "aquele" vinho, e eis que a quarentena associada a uns amigos que gostam de vinho e sobretudo de socializar com o vinho, levaram-me de volta ao elixirdebaco.

3230 dias, é muito tempo! Nestes anos, vimos tanta evolução tecnologica que mudou a forma como podemos conhecer os vinhos. As redes sociais, os diversos sites e aplicações sobre o precioso néctar, vieram enriquecer a informação disponível, mas também dispersá-la. Confirmei que a maioria dos enoblogs que conhecia, estão parados, com excepção do Copo de 3. Que bom, encontrar alguém persistente que continua a realizar um excelente trabalho, bem haja.

E estou de volta!! Sem expectativas de grandes mudanças, apenas escrever o que sinto quando bebo um vinho, de preferência com os amigos. E por falar em amigos, já foi lançado o desafio de participarem activamente aqui no EdB com as suas provas. Até já...

Vamos andando...

por Rui Sousa, em 12.07.11

Mais uma temporada longe do blog (semelhante a temporada futebolística!!!), mas não longe dos vinhos, isso não!!! Mas com vinho "próprio" o "vicio" das provas com os amigos, ficou mais calmo... Uma vez por outra lá chega um vinhito para beber sempre numa refeição, quase sempre à pressa, sem copos apropriados, mas com bons petiscos pela frente!!! Perdi na "bubida" ganhei no prato!!! E por estas bandas come-se muito bem e barato... E foi esta modificação de hábitos que me fez pensar, que realmente onde o vinho está mais presente na nossa mesa, é na mesa de jantar, e não na mesa do Wine bar, ou do Café mais famoso ou menos famoso.. E o que queremos beber com o bom prato?!?! Um vinho que esteja lado a lado? Um vinho que não se nota mas está presente (tipo nº6 do futebol) ou ainda aquele que faz por se notar e evidenciar mais do que o prato que estamos a apreciar?!? 90% das vezes dou de caras com um vinho calminho que não tem muito por oferecer, mas o que tem, serve perfeitamente pro momento! E nos blogs ninguém fala (quase ninguém, o Copo de 3, prima-nos pela diversidade) desses vinhos, mas eles existem, são vendidos e são consumidos... mas são grandes vinhos? não!! claro que não!!! mas são bons vinhos, muitos deles baratos (boas compras da Revistas do mundo vinícola) e consomem muitas horas de trabalho, para quem os produziu, pensou, vinificou e estaremos nós os ditos "enófilos" a desprezá-los?!? Penso que só nas palavras e no tempo de dedicação!!! Porque no copo eles aparecem frequentemente... "eles andem por ai!!!!" E ainda bem!!! E aqui deixo, o meu muito obrigado por existirem os vinhos bons compras e os vinhos de que ninguém fala, muito obrigado por existir os vinhos de 2, 3 e 4€!!!! Obrigado Pingo Doce, pela colheita seleccionada do Dão!!!Bem ajam, grande abraço e saudações enófilas!!!!

Adega de Nelas Tinto Pé-Franco 2001

por Rui Sousa, em 17.04.10

 

Características do Vinho:

Tipo: Tinto
Castas:
Tinta Roriz e Touriga Nacional em Pé-Franco

Ano: 2001
Região: Dão (DOC)
Data da Prova: 05 de Abril de 2010
Teor Alcoolico : 13,5%

Produtor: Adega Cooperativa de Nelas  www.coop-nelas.com


 

 

Sobre o Vinho...

"A importância da videira americana para o fabrico de vinhos provém da sua utilização no processo de enxertia, objetivando o fortalecimento das videiras européias, uma vez que, há mais de um século, não se pratica o plantio em pé franco, ou seja, deixou-se de lado a prática de retirar a vara de uma videira mais velha e enfiá-la diretamente no solo para se conseguir uma planta nova." (wikipedia)

Situada no coração da Região Demarcada do Dão, a Cooperativa Agrícola de Nelas foi criada em 18 de Fevereiro de 1950.
A Cooperativa desempenha um papel relevante na lógica associativa, procurando rentabilizar a produção dos seus associados e promover os vinhos da região do Dão. Actualmente a Cooperativa tem cerca de 1500 sócios e a sua produção média cifra-se nos 20.000 hl/ano. Este vinho surgiu da colheita de uvas de uma pequena parcela de vinha plantada em “pé-franco”, isto é, sem recurso ao tradicional bacelo com 50% de Touriga Nacional e 50 % de Aragonês. Estagiado 8 meses em barricas de carvalho francês(www.coop-nelas.com)

Prova:

Dão... ainda a poucos dias falava com um amigo, e discutíamos o vinho do Dão e o conhecimento do vinho no meio vinícola, cheguei à conclusão que além de haver bons vinhos, estes têm características únicas no panorama nacional.. se o Alentejo é por excelência a região principal, pelos números de produção e vendas, o Douro pela tradição, o Dão é por si a verdadeira região tradicional, onde o vinho sobrevive por si só, onde o vinho sozinho vence e convence!!!

Escolhi este vinho por ser em Pé-franco, não sei, se só por si muda alguma coisa, mas a curiosidade foi mais forte... mas a verdade é que é o vinho mais caro da adega!!! Bem é um bom vinho, começo por dizer e digo bom, porque preenche todos os campos de um bom vinho do Dão, encorpado e fresco na boca, aquela frescura que eu gosto de sentir no vinho, que encontro no Douro, e raramente no Alentejo, é a fronteira para não se tornar enjoativo e demasiado quente. Com os aromas característicos, destaco as frutas vermelhas e do bosque, com a caruma e alguns aromas verdes à mistura... faz-me viajar pelas florestas desta região... Não seria este o principal objectivo de um vinho, transmitir a região em que está inserido?!

 

Classificação: 16,5 Valores

Preço: por volta dos 6€ (se a memoria não me falha)

Observações: ...