Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

elixirdebaco

5 grandes amigos, que gostam de provar, mas sobretudo de beber vinho todos juntos. Como a vida os afastou (geograficamente), o vinho acabou por os juntar. E o vinho, torna-se sempre melhor quando é partilhado!

Caracol dos Profetas 2021

07.06.22 | Rui Sousa

vinho-branco-caracol-profetas-2021-1.jpg

Características do Vinho:

  • Tipo: Branco
  • Castas: Caracol
  • Ano: 2021
  • Região: Madeira
  • Teor Alcoolico: 12.5%

Prova: 

  • Data: 12 de Maio de 2022  
  • Por: Rui Sousa

Produtor: Maçanita Vinhos

Enólogos: António Maçanita

 

Sobre o Vinho...

A casta Caracol é uma das castas tradicionais da ilha do Porto Santo. Existem várias estórias e mitos sobre a sua potencial origem, como a de ter sido um tal Sr. Caracol que a terá trazido e plantado. No entanto a bibliografia científica parece relacionar esta casta com a casta “Cédres” das Canárias e parece ter relação genética muito próxima com o Listrão, podendo eventual ser sua descendente. A pouca informação segura que temos é que existe no Porto Santo há mais tempo do que há memória. A ilha de Porto Santo emergiu há 14 milhões de anos no Oceano Atlântico, sendo geologicamente das mais antigas ilhas dos arquipélagos portugueses. Foi também a primeira a ser descoberta por Zarco em 1418. Os antigos contam que era aqui onde se vinham buscar as uvas mais maduras para fazer o vinho que fez famosas estas ilhas. Hoje restam menos de 14 hectares, cultivados por um punhado de resistentes. Na ilha vizinha chamam “Profetas” aos porto-santenses, alcunha antiga que nunca fez tanto sentido quando vemos estas vinhas velhas, de condução rasteira, protegidas dos ventos e maresia por muros de crochet ou habilidosas estruturas de canas.

As uvas foram vindimadas manualmente, no sábado 14 de Agosto na ilha de Porto Santo, e carregadas para camião de frio, para transporte de barco para a ilha da Madeira (visto não ser legal a sua vinificação no Porto Santo). Pelas 11h00 da noite foram escolhidas em mesa de escolha e prensadas em cacho inteiro, para depósitos de decantação dentro de um contentor frigorífico, sendo separadas três frações de prensagem, sem qualquer uso de SO2. A primeira e segunda fração de prensa foram colocadas a fermentar em cubas de inox deitadas, sobre borras, de capacidade entre 250 L a 1000 L onde ficaram em estágio apenas 3 meses e engarrafado de seguida de forma a reter todo o seu potencial aromático.  (antoniomacanita.com)

Ora aqui está uma bela novidade, um projecto muito interessante, que pode tornar-se num catalizador para o desenvolvimento da viticultura na Ilha Dourada. Ilha que tem fornecido sempre uvas para o tradicional vinho madeira, principalmente a casta Listrão. Para quem conhece a ilha e os seus pequenos produtores, o vinho tradicional do Porto Santo, consegue atingir % de álcool de 17/18º sem necessidade de parar a fermentação.  A ilha é sem dúvida uma pedra preciosa em estado bruto, pronta a ser polida e descoberta.

Prova:

Este projecto da Companhia dos Profetas e dos Villões (lê-se Vilhões), está muito bem conseguido, desde o início e este Caracol, com uma bonita e simples imagem, cativa, tem cáracter e personalidade. De cor amarelo limão claro, surge com energia, com leves notas de citrinos acompanhadas com notas minerais mais carregadas. Na boca, de média intensidade, acidez média/alta contagiante, notas minerais bem presentes, a lembrar um pouco a pedra amarela da ilha. A fruta continua suave, citrinos, limão e leves toques de maça verde. Corpo fresco e de média intensidade, sempre a deixar uma agradável secura na boca. Surpreendentemente termina de forma média/persistente o que foi muito interessante. É sem dúvida um vinho que consegue transmitir o terroir e que segue a máxima, "sabe melhor do que cheira", e quando assim é, o vinho é de beber e repetir. Para acompanhar novas edições e notícias da Companhia.... 

 

Classificação: 16.5/20 

Preço: 21.80€ (PVP Online)

Observações: Vivino: 4.2/5; PaixãopeloVinho: n/d;  Revista de Vinhos: n/d; Grandes Escolhas: n/d;