Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

elixirdebaco

Herdade do Esporão Espumante 2015

por Rui Sousa, em 25.05.20

bottle.jpg foto: Herdade do Esporão

Características do Vinho:

Tipo: Espumante Branco
Castas:  Arinto e Encruzado

Ano: 2015
Região: Alentejo
Data da Prova: 14 de Maio de 2020
Teor Alcoolico: 12,5%

Produtor: Esporão

 

Sobre o Vinho...

Vinho experimental resultante da inquietude dos enólogos, o Espumante da Herdade do Esporão desafia as leis estabelecidas para a quente e soalheira região do Alentejo. Fermentação com temperaturas controladas em cubas de inox (13ºC a 15ºC), fermentação em garrafa, seguida de envelhecimento sobre as borras durante 9 meses até o degórgement. Método Clássico. 18 meses em garrafa (https://www.esporao.com/pt-pt/vinhos/espumante-2015/)

 

Prova:

2º vinho a ser provado nesta segunda vida, e a escolha não podia ser mais desafiante. Primeiro porque os espumantes não são de todo um tipo de vinho que me entusiasme. E segundo é sempre um vinho de ocasião festiva e pouco mais. Mas não deixa e ser um vinho e como tal merece sempre uma atenção mais cuidada. De cor palha e bolha ligeiramente persistente, não deixou de surpreender pela apresentação, a denotar que trazia um corpo também ele interessante. Os aromas citricos e pessêgo associados a toques de biscoitos de manteiga e na boca a confirmar as suspeitas, com uma untuosidade qb a dar forma ao corpo do vinho. O final pouco persistente e acidez pouco marcante, o que levou a que o vinho ficasse demasiado igual e pouco convidativo sobretudo com o aumento da temperatura. 

 

Classificação: 15/20 

Preço: 12€ (preço médio)

Observações:  Wine Enthusiast: n/d;  Revista de Vinhos: n/d; Grandes Escolhas: n/d; Vivino: 3.6/5

Mais três brancos para este verão!

por Rui Sousa, em 11.08.07
Herdade dos Grous 2006

Este alentejano, revelou-se ser um bom exemplar da região. Com muita fruta tropical associada aos citrinos, mais as notas de baunilha e algumas de raspas de casca de laranja cobertas com chocolate (branco!!!). Toda esta fruta surgiu associada com bonitos aromas florais. Boca muito bem preenchida com um bom corpo e uma persistência de realçar. Um bom branco alentejano, para mim o melhor que provei até hoje! 16,5 Val


Vinha da Palmeira 2005

Mais um branco madeirense, este feito a partir de um lote de castas típicas da madeira (verdelho e bual) e um cruzamento de riesling - a Arnsburguer. Desde do ínicio que se mostrou um vinho "leve", suave, com a fruta tropical, bastante madura, com toques doces. Os seus 11,5% torna-o um branco bem apetecível para este verão. O senão continua a ser a pouca persistência no final. Apesar de este ponto menos positivo é um branco que acompanhou a altura uma boas Lapas Grelhadas!!!  15 Val


Quinta de Cabriz 2006

Este Dão, já é uma referência na região tanto nos tintos como nos brancos. Este branco surge, bem suave, (algo leve de mais!!!) Sente-se bem a fruta citrica juntamente com um bom lado verde. Na boca confirma a sua suavidade e é bem agradável, mas não consegue somar muitos pontos, devido aos seu corpo não ser muito expansivo. Persistêncial final qb.  Há quem o defina como um branco de senhoras!!! Eu defino como branco de verão, fresco com este calor, é 100 vezes melhor do que uma cerveja!!!! 15 Val

QUINTA DO CARMO 2006

por Rui Sousa, em 03.08.07

imagem: www.quinta-do-carmo.com


Características do Vinho:

Tipo: Branco
Castas:
  Arinto, Antão Vaz, Perrum e Roupeiro

Ano: 2006
Região: Alentejo (Regional Ribatejano)

Data da Prova: 02 de Agosto de 2007
Teor Alcoolico : 12,5%
Produtor:   Quinta do Carmo


Sobre o Vinho... 

O Quinta do Carmo branco caracteriza-se em primeiro lugar pelo seu “terroir”, é um vinho de Sol no qual a maturidade e a tipicidade das castas tradicionais se aliam judiciosamente com castas complementares e se alimentam de um “savoir-faire“ que lhes acrescenta complexidade e elegância. (www.quinta-do-carmo.com)


Prova: 
Decidimos realizar uma prova algo diferente, começamos com atemperatura do vinho mais baixa, cerca de 8º e deixamos subir sem ter a preocupação em a manter, para sentirmos essa evolução no vinho. De ínicio começou muito escondido, não se notava a fruta, praticamente não se notava nada... Mas com a subida da temperatura a fruta começou a surgir, primeiroa verde e citrica e no final a tropical (melão). Tem um bom lado mineral. Achamos que é um bom vinho branco, mas estávamos a espera de algo mais... algo de diferente.... O final é adequado. Confirmou que com a temperatura um pouco mais alta é mais agradável de ser consumido.


Classificação: 15 Valores
Preço:  +/- 8,50 Pingo Doce - Porto Santo

Observações:   Branco de verão é assim que defino este vinho alentejano, mas um branco que fica muito bem numa boa conversa entre amigos, sem outras preocupações....

Brancos para o verão!

por Rui Sousa, em 21.07.07
Encruzado - Quinta dos Roques 2005
Para iniciar a prova dos vinhos, começamos pelo vinho mais a norte. Do Dão este varietal portou-se muito bem, mostrando uma frescura e elegância de realçar para um varietal branco português, sem ser o alvarinho. Fruta cítrica e verde com bom lado floral, a se notar os malmequeres. O conjunto na boca é muito bom com uma frescura e bom corpo é um branco para aguentar uma carnes.  16,5 Val

Verdelho Domingos Soares Franco 2006
A verdadeira surpresa! Já tínhamos ouvido falar deste branco, mas não sabíamos que seria desta dimensão!!!! Muita fruta no nariz, lima, romã, toranja, com toques florais de hortelã, menta e urtigas (nunca pensei sentir urtigas num vinho). Com o passar do tempo, deixamos subir a temperatura um bocadinho  e bebemos um vinhos mais doce, mais meloso, com boas notas de melão maduro. Na boca é muito bom fresco, com a fruta a dançar no palato e a ficar por muito tempo.  17 Val

Latadas 2005
Mais um varietal madeirense da casta verdelho. Nota-se um mesmo fio condutor dos outros vinhos provados por aqui. Boas notas tropicais, um vinho seco não é muito fresco, nota-se mais quando a temperatura sobe. A fruta tropical com um lado mineral, estão bem presentes e tem na boca uma presença não muito prolongada, infelizmente uma característica dos vinhos madeirenses.. Mas merece ser degustado e se for numa prova de extremes então ainda melhor!! 15 Val

Esporão Branco 2006
Depois de ter provado o de 2005, ficou na retina esta prova, ver como seria o novo vinho. Gostamos mais deste, sem dúvida, achamos mais fresco, nota-se claramente a madeira por onde estagiou o que o torna, com um bom corpo. Notas de fruta tropical também surgiram durante a prova e na boca confirma todo o seu potencial . É um vinho para bebermos neste verão e pelo inverno dentro também , porque com este corpo cai lindamente com alguns pratos de carne e de peixe gordo! 16 Val

Chocapalha Reserva 2006
O único reserva da noite, foi também o último a ser provado. Bem menos efusivo, do que o encruzado , esporão e o verdelho, mas mais complexo e muito elegante. Fruta cítrica , manda no vinho, mas a sua frescura e elegância juntamente com o magnífico corpo e final, dão a este vinho motes para ser um grande branco, para este verão e não só, para o ano também será bom provar uma garrafinha. Confirmou a recomendação da Garrafeira Diogos . 16,5 Val

Monte da Peceguina 2006

por Rui Sousa, em 07.06.07



Características do Vinho:

Tipo: Branco
Castas:
Arinto , Antão Vaz e Roupeiro

Ano: 2005
Região: Alentejo (Regional Alentejano)

Data da Prova: 31 de Maio de 2007
Teor Alcoolico : 14,5%
Produtor:   Herdade da Malhadinha Nova SA


Sobre o Vinho... 
A nova colheita deste conhecido vinho, surge com uma nova cara, desta vez foi a Francisca que a fez! Em 1998,  ano de inicio deste projecto, nasceu a Francisca, o primeiro elemento da nova geração desta família. Foi ela quem plantou a primeira cepa dos 20 hectares de vinha da propriedade e desenhou o rótulo desta garrafa. www.malhadinhanova.pt )


Prova: 
Calmo e amplo defino assim este vinho. Para um branco com 14,5%, consegue disfarçar este pequeno detalhe, e consegue devido a uma boa frescura e acidez na boca que apresenta associada à fruta cítrica e principalmente a uma boa dose de ananás e melão, contudo na face inicial da prova a parte mineral e verde está presente, não sendo tão suave tão fresco, aí é um branco menos "vivo", é calmo parece que não é nada com ele. No nariz este vinho surge-nos devagar não se mostra nada pujante, nem a fruta manda, com a sua passividade, e com a sua bela cor dourada, aos poucos suege a notas minerais e vegetais e só depois os primeiros aromas da fruta cítrica, depois a tropical associada ainda a uns toques de baunilha! Belo (dourado) branco!

 

Classificação: 16,5 Valores
Preço:  +/- 8 €, Garrafeira Diogo's

Observações:   É com certeza um branco diferente e com certeza que irá provocar discordâncias. A mim conseguiu agradar e mostra uma boa polivalência com os pratos de peixe (gordo) e carnes brancas!

Esporão Branco Reserva 2005

por Rui Sousa, em 01.10.06


foto: http://www.esporao.com/

Características do Vinho:

Tipo: Branco
Castas:
Antão Vaz, Roupeiro e Arinto

Ano: 2005
Região: Alentejo (DOC)

Data da Prova: 30 de Setembro de 2006
Teor Alcoolico: 14%
Produtor:  Herdade do Esporão  www.esporao.com 

Sobre o Vinho... 
Produto do grande produtor Herdade do Esporão, este reserva branco, tem origem em castas portuguesas, o que é de referir e sublinhar. Oriundo de umas vinhas com idade média de 15 anos, fermentou em cubas de inox com temperatura controlada, estagiando ainda em barricas de carvalho americano.
 

Prova: 
Vinho alentejano é frutado!... logo este branco não podia deixar de o ser! Apresenta-se com uma cor dourada, leve, a lembrar palha, com os aromas a mostrar as frutas (ananás, maça verde), algum mineral e madeira. Na boca é encorpado, suave e persistente q.b.

 

Classificação: 15,5 Valores
Preço:   +/- 9 €

Observações:   Bem a "runião", foi excelente!!! O anfitrião mais uma vez esteve em alto nível.. ponto negativo apenas para a garrafa de Quinta da Taboadela Touriga Nacional 2000, em que a rolha não estava nos seus melhores dias e conseguentemente o vinho também não :(