Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

elixirdebaco

Adega de Penalva Reserva Tinto 2015

por Rui Sousa, em 02.06.20

penalva.jpg

Características do Vinho:

Tipo: Tinto
Castas:  Jaen, Touriga Nacional, Tinta Roriz

Ano: 2015
Região: Dão
Data da Prova: 20 de Maio de 2020
Teor Alcoolico: 14%

Produtor: Adega de Penalva

 

Sobre o Vinho...

A Adega Cooperativa de Penalva do Castelo tem hoje cerca de 1000 associados, recebe anualmente as uvas de mais de 1200 ha de vinha, produz em média dez milhões de litros de vinho, dispõem da mais moderna tecnologia de vinificação, estágio e engarrafamento de vinhos.  O nosso clima é frio e chuvoso no inverno, quente e seco no verão. O nosso solo é granítico e acidentado, rodeado por grandes serras e rios. Os tintos são de cor rubi, corpo elegante, aroma e sabores delicados. (https://www.adegapenalva.com/vinhos/)

 

Prova:

Belo tinto, simples e simpático, tal e qual o lema da Adega. Apresenta os aromas caracteristicas das castas, fruta vermelha mais a elegância floral. Taninos a marcar posição logo de inicio, envolventes e persistentes. Notas ligeiras de madeira acompanham a prova. O final não é muito persistente e nota-se uma ligeira falta de harmonia entre acidez e corpo, mas estamos perante um humilde, prático e sobretudo gastronómico bom tinto do Dão.

 

Classificação: 15,5/20 

Preço: 3€ (preço médio)

Observações:  Vivino: 3.6/5Wine Enthusiast: n/d;  Revista de Vinhos: n/d; Grandes Escolhas: n/d;

Cabriz Touriga Nacional 2016

por Rui Sousa, em 19.05.20

cabriz.jpg

Características do Vinho:

Tipo:Tinto
Castas:  Touriga Nacional

Ano: 2016
Região: Dão (DOC)
Data da Prova: 13 de Maio de 2020
Teor Alcoolico: 13,5%

Produtor: Dão Sul - Sociedade Vitivinícola

 

Sobre o Vinho...

Cabriz, marca líder do grupo, assenta na qualidade da região do Dão. Os seus vinhos são produzidos no centro de vinificação de Carregal do Sal, a sede do grupo Globalwines. É a marca mais vendida do Dão, com produtos bem conhecidos do público em geral. Mais recentemente lançou também a sua gama de vinhos biológicos. 

 

Prova:

De volta à provas... e que recomeço, monovarietal de Touriga Nacional, e com a casta a jogar em casa, não tinha dúvidas que ia ser goleada!!! Fiquei fascinado, como habitualmente, com os aromas marcantes a frutas do bosque/silvestres e com aquela frescura floral que o Dão consegue dar. Corpo muito bem estruturado, com os taninos envolventes no ponto. Final não é muito persistente, mas é um excelente exemplar Cabriz e Touriga Nacional do Dão. Tanto permite ser um vinho gastronomico, como um vinho para nos acompanhar numa boa conversa ao longo da noite.

 

Classificação: 16,5/20 

Preço: 8€ (preço médio)

Observações:  Wine Enthusiast: 90/100;  Revista de Vinhos: n/disponivel; Grandes Escolhas: n/disponivel; Vivino: 4.0/5

Adega de Nelas Tinto Pé-Franco 2001

por Rui Sousa, em 17.04.10

 

Características do Vinho:

Tipo: Tinto
Castas:
Tinta Roriz e Touriga Nacional em Pé-Franco

Ano: 2001
Região: Dão (DOC)
Data da Prova: 05 de Abril de 2010
Teor Alcoolico : 13,5%

Produtor: Adega Cooperativa de Nelas  www.coop-nelas.com


 

 

Sobre o Vinho...

"A importância da videira americana para o fabrico de vinhos provém da sua utilização no processo de enxertia, objetivando o fortalecimento das videiras européias, uma vez que, há mais de um século, não se pratica o plantio em pé franco, ou seja, deixou-se de lado a prática de retirar a vara de uma videira mais velha e enfiá-la diretamente no solo para se conseguir uma planta nova." (wikipedia)

Situada no coração da Região Demarcada do Dão, a Cooperativa Agrícola de Nelas foi criada em 18 de Fevereiro de 1950.
A Cooperativa desempenha um papel relevante na lógica associativa, procurando rentabilizar a produção dos seus associados e promover os vinhos da região do Dão. Actualmente a Cooperativa tem cerca de 1500 sócios e a sua produção média cifra-se nos 20.000 hl/ano. Este vinho surgiu da colheita de uvas de uma pequena parcela de vinha plantada em “pé-franco”, isto é, sem recurso ao tradicional bacelo com 50% de Touriga Nacional e 50 % de Aragonês. Estagiado 8 meses em barricas de carvalho francês(www.coop-nelas.com)

Prova:

Dão... ainda a poucos dias falava com um amigo, e discutíamos o vinho do Dão e o conhecimento do vinho no meio vinícola, cheguei à conclusão que além de haver bons vinhos, estes têm características únicas no panorama nacional.. se o Alentejo é por excelência a região principal, pelos números de produção e vendas, o Douro pela tradição, o Dão é por si a verdadeira região tradicional, onde o vinho sobrevive por si só, onde o vinho sozinho vence e convence!!!

Escolhi este vinho por ser em Pé-franco, não sei, se só por si muda alguma coisa, mas a curiosidade foi mais forte... mas a verdade é que é o vinho mais caro da adega!!! Bem é um bom vinho, começo por dizer e digo bom, porque preenche todos os campos de um bom vinho do Dão, encorpado e fresco na boca, aquela frescura que eu gosto de sentir no vinho, que encontro no Douro, e raramente no Alentejo, é a fronteira para não se tornar enjoativo e demasiado quente. Com os aromas característicos, destaco as frutas vermelhas e do bosque, com a caruma e alguns aromas verdes à mistura... faz-me viajar pelas florestas desta região... Não seria este o principal objectivo de um vinho, transmitir a região em que está inserido?!

 

Classificação: 16,5 Valores

Preço: por volta dos 6€ (se a memoria não me falha)

Observações: ...

Borges Touriga-Nacional 2001

por Rui Sousa, em 06.04.07

foto: www.borgeswine.com

Características do Vinho:

Tipo: Tinto
Castas:
Touriga Nacional  

Ano: 2001
Região: Dão (Regional Alentejano)
Data da Prova: 02 de Abril de 2007
Teor Alcoolico: 13,5%

Produtor: Sociedade de Vinhos Borges, SA

Sobre o Vinho...
Provinente da Quinta de São Simão da Aguieira, bem na região Dão-Lafões. É uma das mais antigas regiões produtoras de vinhos de qualidade. É uma região demarcada desde 1908,  onde as condições particulares permitem a obtenção de vinhos muito aveludados, considerados, desde os tempos mais remotos, como dos melhores do País. Fermentou durante 15 dias em cubas de inox. Estagiou em barricas de carvalho françês novas durante 6 meses.


Prova: 
Este tinto, é verdadeiramente um Dão! E um óptimo varietal! De cor granada, os aromas primários mostram todas as características da casta, os toques vegetais, os frutos silvestres, juntamente com a frescura específica do Dão, que tanto a marca e (me) cativa. Na boca a frescura comanda as rédeas, a fruta está presente, e os taninos mostram-se ainda em bom nível.

 

Classificação: 16,5 Valores


Preço:   +/- 10 €


Observações:  Dão tem vinhos de qualidade, já sabemos que tem as suas particularidades, mas a mim, conseguem cativar pela diferença, a frescura aqueles toques vegetais do vinho são dignas do nosso entusiasmo.